duplodeck – Verões

verões

Name Your Price / Free Download
duplodeck.bandcamp.com

Facebook
facebook.com/deckduplo

Catalog: PUG007
Release Date: 2 September 2014
Format: MP3 / Cassette / CD-R



Sobre o disco / Read English version below

A trajetória da duplodeck contraria a teoria simplista de que tendências retornam a cada 20 anos. Inspirados por Teenage Fanclub e Yo La Tengo, os juizforanos fizeram o primeiro ensaio em 2001, quando compuseram I’m Sure, cujos riffs remetem a um embate entre Pavement e New Order. Confusa e cativante, a faixa demonstrava o quanto as distintas influências dos integrantes impossibilitariam que as músicas saíssem como o planejado, mas, por outro lado, sugeria que a sintonia entre os músicos permitiria um acerto, mesmo que acidental.

Em pleno início dos anos 00’s, a duplodeck dava seus primeiros passos revivendo as guitar bands da década de 90, tendo os Pixies como uma de suas principais referências. Inspirados por girl groups sessentistas, foram adicionados vocais femininos e teclados lounge, resultando em uma sonoridade mais pop que permitiu flertes com a bossa nova e comparações com Stereolab. Essa primeira fase está representada em seu primeiro EP, que foi gravado em 2003, mas acabou sendo engavetado à medida em que banda experimentava em novas composições.

Em 2004, iniciou-se uma nova fase em que o passado noise fazia concessões à simplicidade proposta pelos Strokes, ao passo em que a influência brasileira era diluída, porém, mantinha-se quase sempre presente. Distante da crítica e do público, assistiu à ascensão e à queda de dúzias de bandas que tinham estética semelhante, quando uma safra tão sintonizada quanto descartável assolou o rock alternativo brasileiro da época. Sem querer se afastar ou muito menos disposta a tirar proveito daquela situação, a banda planejava um disco para 2005, mas acabou encerrando as atividades naquele mesmo ano.

Em 2011, a gravadora mineira Pug Records ressuscitou o EP de estreia. Sintonizadas com o cast do selo e com outras guitar bands contemporâneas, as faixas pareciam soar mais atuais do que quando foram criadas dez anos antes. Apesar de os integrantes estarem espalhados por diferentes cidades, a duplodeck decidiu retomar o projeto do disco cheio, chamando para a produção o amigo Ciro Madd. Por questões logísticas, as gravações aconteceram nos verões de 2010, 2011 e 2012. Somado à temática e à estética que por vezes ilustra o nascer e pôr-do-sol, esse é um dos motivos para que o disco fosse batizado de Verões.

O álbum começa à beira-mar com Saint-Tropez, uma balada litorânea que não tem medo de soar como samba para gringo. Misturando elementos de jazz e efeitos espaciais, Uns Braços é outro momento para fãs de música brasileira. Bom Dia, Amor vai crescendo à medida em que Clap Your Hands Say Yeah e Mutantes parecem encontrar um meio termo. Mais diretas, Boemia e Hi-Fi animariam qualquer pista durante os anos 00’s. Strange Girl e Verões trazem resquícios de MPB quase soterrados por guitarras que evocam Wedding Present e Radiohead. Único momento que corresponde a ideia inicial da banda, Brisa fecha o disco com camadas de guitarras tão contemplativas quanto as de Everything Flows e I Heard You Looking Me.

Novamente com um delay de 10 anos, a duplodeck apresenta suas músicas, sem se preocupar se tudo teria feito mais sentido em 2004. Lançado pela Pug Records, Verões é um recorte peculiar e representativo das idas e vindas do rock alternativo durante esse período. Ainda que agreguem influências diversas, suas oito faixas vão soar familiar para a maioria dos ouvintes, o que permite opiniões extremas em relação ao disco . Enquanto isso, os duplodeckers continuam ensaiando para lançar em breve músicas que sejam realmente novas.


About the album

duplodeck’s path contradicts the simplistic theory that trends return every 20 years. They started out in 2001, initially inspired by guitar bands like Teenage Fanclub and Yo La Tengo, but soon added female vocals and lounge keyboards, allowing flirtations with bossa nova and comparisons to Stereolab. This phase is well represented on their debut EP, which was recorded in 2003 and quickly abandoned when the band began to shift its aesthetics. During 2004’s rehearsals, moments of noise gave way to the simplicity proposed by The Strokes, while the Brazilian influence was diluted. They were planning a full album for 2005, but the band split up that same year.

In 2011, Pug Records issued the forgotten self-titled EP. Tuned to the label’s cast and current guitar bands, its 5 tracks seemed to sound fresher than when they were first composed, 10 years earlier. At this point, duplodeckers reunited to resume the full-lenght album project, inviting their friend Ciro Madd to produce it. The result of this process is Verões, aka summer, in Portuguese. Once again with a 10 year delay, duplodeck presents its music without worrying whether it would have made more sense in 2004 or not.

The album opens at seaside with Saint-Tropez, a charming and coastal ballad. Mixing jazzy elements and spacey effects, Uns Braços is another moment for fans of Brazilian music. Bom Dia, Amor builds up while Clap Your Hands Say Yeah and Mutantes seem to collide. Simple and straight forward, Boemia and Hi-Fi could’ve rocked the dance floor in the early 00’s. Strange Girl and Verões bring remnants of Brazilian Popular Music almost buried by feedback that reminds us of Wedding Present and Radiohead. Finally, Brisa is the only moment that matches the original idea of the band – the eighth track closes the debut album with a sunset atmosphere built on layers of guitars as contemplative as those from Everything Flows and I Heard You Looking Me.

“Verões” is available as CD-R, free mp3 and cassete. The tape is will be distributed by Bleeding Gold Records.


Streaming


Photo

Créditos: André Medeiros / Divulgação

Créditos: André Medeiros / Divulgação


Related Posts